Acerte na escolha! Dicas de harmonização de vinhos

É muito comum ouvirmos que peixes harmonizam bem com vinhos brancos; aves com brancos, rosés ou tintos leves (como o Pinot Noir e o Beaujolais); carnes vermelhas e/ou fortes, com tintos como o Cabernet Sauvignon ou o Malbec.

Detalhando um pouco essas grandes diretrizes, temos como dica geral de harmonização de vinhos com comida, o seguinte:

  • Carnes brancas: se forem preparadas com molho, o vinho deve harmonizar com ele
  • Carnes mais ricas, como pato ou linguiça, combinam bem com vinhos mais fortes
  • Molhos ácidos ou cítricos, harmonizam melhor com vinhos também ácidos, podendo ser tintos ou brancos

Os brasileiros, por exemplo, bebem mais vinho tinto do que branco, apesar do branco ser mais ideal para o clima do Brasil. Mas isso não é ruim, pois o consumo de carne vermelha também é grande e, com essa, a melhor combinação é o vinho tinto. Pensando em carnes vermelhas e churrasco, abaixo algumas sugestões de harmonização:

  • Filé combina muito bem com vinho Pinot Noir e com Beaujolais
  • Costela de boi, com Malbec ou Cabernet Sauvignon
  • Contra filé, e pratos apimentados, com Cabernet Sauvignon e Syrah
  • Churrasco no geral, com Cabernet e Malbec
  • Carnes vermelhas magras, cordeiro e javali combinam com Carménère

Dicas gerais de harmonização de vinhos:

  • Queijos

Normalmente, a harmonização dos queijos se baseia na intensidade de sabor de cada alimento. Os queijos mais suaves e frescos, como ricota, muçarela de búfala, brie e queijo coalho, combinam com vinhos brancos de pouco aroma e leves, como o Chardonnay, Sauvignon Blanc e Pinot Grigio.

Já os queijos mais duros e de média a longa maturação, como prato, cheddar, pecorino, provolone e tipo grana, combinam com espumantes e vinhos tintos de leve aroma e de média a alta intensidade, como Merlot, Cabernet Sauvignon e Chianti.

Por fim, temos os queijos azuis, como gorgonzola e roquefort, que harmonizam com vinhos brancos aromáticos, como o Cabernet Sauvigon e o Riesling.

  • Entradas: cremes e saladas

Usualmente servidos como entradas, os cremes (de alho-poró, de abóbora e de batata, por exemplo) e as saladas possuem sabores mais leves, não tão marcantes quanto pratos principais. Por esse motivo, a ideia é usar vinhos coringas, que podem ser combinados com a maioria desses tipos de pratos, como o rosé, refrescante e agradável, e vinhos brancos mais clássicos, como Cabernet Sauvignon e Chardonnay.

  • Massas e risotos

Versáteis e facilmente preparados, as massas e os risotos possuem sabores muito neutros e dessa forma devem ser combinados de acordo com os ingredientes que são acrescentados a fim de oferecer sabor e aroma.

Um risoto (ou massa) mais leve, feito de aspargo, lagostim e finalização com manteiga, queijo e raspas de limão siciliano, por exemplo, combina muito bem com um vinho branco, como o Chardonnay.

Agora se for feito com ingredientes mais intensos, como cogumelo seco, linguiça toscana e finalização de queijo tipo grana padano, a harmonização deve acontecer com vinhos tintos encorpados, como Malbec, Shiraz e Bordeaux.

  • Peixes e frutos do mar

Peixes grelhados, camarão e bacalhau possuem sabores mais intensos e combinam com vinhos verdes e vinhos brancos mais encorpados, como Chardonnay. Vieiras, lagostas e moluscos possuem sabores mais suaves e, feitos de forma simples, combinam com vinhos brancos leves, como Sauvignon Blanc, Pinot Grigio e Chablis.

  • Carnes brancas

Considerada uma proteína mais magra, a carne branca pode harmonizar tanto com vinhos brancos, quanto com tintos suaves, como Roussanne, Chardonnay e Pinot Noir. Lembre-se de que é importante pensar no molho sempre que houver e dessa forma criar a harmonização de acordo com esse sabor.

  • Cabernet Sauvignon para carnes vermelhas suculentas

Cabernet Sauvignon da Serra Gaúcha, da Serra Catarinense, franceses e alguns argentinos com potencial de maior de guarda podem se beneficiar da harmonização.Além dos famosos cortes bordaleses (mistura de Cabernet Sauvignon com Merlot, os blends) ficam perfeitos com bifes grossos ao ponto ou mal passado. Filé Mignon e Cordeiro são boas pedidas, com molhos de ervas frescas como hortelã.

  • Merlot com molhos escuros

O Merlot tem uma característica curiosa relacionada a harmonização. Ele tem o mesmo poder da Cabernet Sauvignon, porém aceita um pouco melhor molhos.

Pratos com carnes (como os que harmonizam com Cabernet Sauvignon), aqui podem receber algum molho mais denso e cremoso. Filé ao molho madeira pode fazer o casamento perfeito para esse vinho. O motivo é simples, além do sabor, traz a textura ideal para limpar o paladar do molho cremoso.

  • Sobremesas

Em geral, elas combinam muito bem com vinhos brancos mais adocicados, como o Riesling e o Moscato, os vinhos rosé, que possuem um elevado dulçor, frisantes e espumantes.

Doces a base de chocolate, como brownie, mousses, brigadeiros e petit gateau harmonizam, em especial, com o vinho do porto, que é mais adocicado, embora seja bem intenso e tânico.

O famoso Moscatel é o espumante queridinho dos brasileiros, respondendo por um aumento de 20% a cada ano que passa. O espumante pode harmonizar muito bem com uma salada de frutas, combinando os sabores doces com cítricos de morangos, por exemplo.

Aproveite nossas dicas e lembre-se: beba sempre com moderação!

Via: [Vem da Uva]

You might also like